January 21 2013

Rosangela Lotfi

Quais são os principais tipos de financiamento?





Precisando de dinheiro? Há uma série de tipos de financiamentos disponíveis no sistema financeiro brasileiro tanto para pessoas físicas quanto para empresas. Saber quais as modalidades de financiamento para cada necessidade é fundamental para a melhor escolha.

O poeta norte-americano Robert Frost cunhou a frase definindo os bancos. “Um banco é um estabelecimento que nos empresta um guarda-chuva num dia de sol e nos pede de volta quando começa a chover.” Considerando esta definição o melhor tipo de financiamento é o de capital próprio, aquele em que você junta o dinheiro que vai precisar, mas quanto mais alto o montante, mais difícil é, daí recorre-se aos bancos para comprar uma casa, um carro, pagar os estudos ou comprar bens de consumo. Se você tiver um negócio e quiser fazer com que ele cresça ou estiver planejando começar um dinheiro é fundamental.

Para pessoas físicas os tipos de financiamento mais comum são para a compra de bens de consumo, de carro e da casa própria. Já falamos nesse espaço amplamente sobre o credito direto ao consumidor (CDC) para a aquisição de bens de consumo, sobre o leasing, o consórcio e o CDC para a compra de veículos, mas pouco sobre financiamento imobiliário, uma das formas mais comuns de se adquirir a sonhada casa própria é através do financiamento. O mercado oferece algumas formas para obter esse empréstimo, seja direto com a construtora ou no banco. Se você vai comprar um imóvel na planta ou em construção, direto com a construtora será preciso apenas apresentar documentos de identidade e CPF. Não há exigência de “ficha limpa”. Já no financiamento bancário, além da “ficha limpa”, é exigida comprovação de rendimento adequado ao valor do crédito (valor da prestação não pode ultrapassar 30% do valor da renda líquida) e outros documentos como certidões de protestos, distribuidor judicial, imposto de renda e comprovante de residência. Em planos governamentais, como no Minha Casa, Minha Vida, o imóvel pode ser financiado em até 360 meses. Pelo Sistema Financeiro da Habitação em até 240 meses. Em planos privados, como o Sistema Financeiro Imobiliário, o critério é da construtora. Em geral, até 120 meses. Os juros variam banco para banco, mas o comprador deve prestar atenção a outras tarifas que podem pesar.

Receba grátis as melhores cotações para o seu financiamento!

Solicite as melhores propostas para o seu financiamento através do site Financiamento.net

O que você gostaria de financiar?

Uma opção para situações emergenciais tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas é o cheque especial, não que seja uma boa opção, os juros são muito altos e só pense em usar o limite do cheque se souber que poderá pagar a dívida em um prazo de poucos dias. Melhor opção para empresas é a conta garantida. Parecida com o cheque especial, com a vantagem dos juros serem mais baixos. É uma linha de crédito rotativo, que pode ser usada para qualquer finalidade e o empresário paga juros sobre o limite que pediu. O leasing também é uma opção, de médio a longo prazo, indicada para adquirir máquinas, veículos e outros equipamentos.

Para ampliar as instalações, investir em um maquinário novo ou na modernização da sua empresa, vale buscar empréstimos no BNDES. Os juros são mais baixos do que o banco comercial e ainda há um período de carência. Para isso, é preciso ter um projeto justificando para o que o dinheiro será usado. Nos bancos comerciais não é preciso justificar o uso do dinheiro e os empréstimos podem ser usados para ampliar o capital de giro, por exemplo. Para quem trabalha com comércio a antecipação de recebível é uma boa opção. Você pode vender um produto no cartão e pedir a antecipação do pagamento para a operadora. Mas lembre-se da frase do poeta Frost e analise todas as opções antes.

Solicite seu empréstimo agora, preencha nosso formulário de cotação, clique aqui.

Sobre o autor: Rosângela Lotfi

Rosângela Lotfi é jornalista especializada em economia e negócios, mas com múltiplos interesses. Possui experiência e atua em mídias impressas [jornais, revistas] e internet, nos quais produz conteúdos informativos e insitucionais. Atua também como ghostwriter.